Qual a relação entre cultura organizacional e liderança?

cultura-organizacional-e-lideranca

Cultura organizacional e liderança são elementos importantíssimos para o crescimento de uma empresa, pois são um fator de vantagem competitiva.

Enquanto a liderança adequada ajuda a engajar e motivar pessoas, a cultura organizacional cria a base sustentável para que o engajamento perdure e resulte em aumento de produtividade, o que beneficia tanto gestores quanto colaboradores.

Já está claro como ambos os fatores contribuem para a performance dos colaboradores. Neste artigo, mostraremos como lideranças adequadas ajudam a criar culturas organizacionais saudáveis e como esses ambientes favorecem, por consequência, o surgimentos de boas lideranças.

Se você pretende seu auto-desenvolver enquanto líder e quiser entender como contribuir com a cultura da sua empresa, está no lugar certo. Continue a leitura e sucesso!

Tipos de liderança influenciam na cultura organizacional

Produtividade é o resultado de engajamento e de uma cultura organizacional que prioriza os funcionários.

Afinal, quando as equipes são motivadas e desafiadas positivamente, elas mesmas promovem um ambiente impulsionador para executar suas atividades.

Muitas pessoas já se viram trabalhando em uma empresa cuja cultura organizacional não se encaixava muito bem em seus valores. Ou então, observaram que os valores e normas do cultura organizacional eram rígidos e agressivos demais.

Isso acontece porque a cultura sofre influências de certos tipos de liderança. Um líder coercitivo e centralizador pode mudar — para pior — o clima organizacional e a relação com as equipes, dificultando mudanças de hábitos e a inovação.

Igualmente, um líder treinador ou democrático pode ajudar a promover mudanças rápidas e saudáveis, em função de seu estilo mais liberal e focado em pessoas. Por isso é essencial saber escolher os estilos de liderança que se deseja imprimir dentro das corporações.

Há estilos que deixarão marcas negativas, profundas e limitantes, aumentarão insatisfações e perda de talentos.

Impactos da cultura organizacional na produtividade

Empresas que mantêm uma cultura sólida conseguem construir um bom clima no trabalho. O que é de suma importância para elevar a satisfação, a motivação e o engajamento dos profissionais.

Quando se sentem parte integrante de um propósito maior, os colaboradores oferecem resultados melhores e desempenham tarefas em sinergia com outras equipes.

Além disso, segundo uma pesquisa realizada pela Gallup, a probabilidade de um funcionário engajado permanecer na empresa em tempos de crise é bem maior! Confira outros dados revelados pelo estudo, acerca dos benefícios do engajamento para as empresas:

  • 21% de aumento na lucratividade;
  • 10% de aumento na retenção de clientes;
  • 22% de aumento na produtividade;
  • 37% de diminuição no absenteísmo;
  • 25% de diminuição na rotatividade;
  • 48% de diminuição nos acidentes de trabalho.

Como cultura organizacional e liderança afetam a felicidade dos colaboradores

Felicidade no trabalho é um dos fatores determinantes para o engajamento. Colaboradores felizes trabalham com vontade e agem pro-ativamente, enquanto aqueles que não estão farão sempre o mínimo necessário.

Esse aspecto também é tema de um dos livros do psicólogo Martin Seligman, “Felicidade Autêntica”. Por meio da psicologia positiva, Seligman explora o universo da felicidade, apontando que ser feliz não depende de status social ou da beleza física.

Primordialmente, a felicidade é uma combinação daquilo que Seligman chamou de “pontos fortes distintos”. Entre esses pontos estão a persistência, a temperança e a capacidade de manter uma vida com algum significado.

Até a década de 1980, as empresas eram vistas apenas como “organizações”, que tinham a função de coordenar pessoas e tarefas. A maior parte das empresas era verticalizada, dividida em departamentos, muitos deles sem contato direto.

Contudo, os anos passaram e as organizações entenderam que, para sobreviver, precisavam monitorar variáveis dos ambientes interno e externo. Assim, poderiam construir uma cultura organizacional eficaz para os negócios.

Ao analisar estudos de especialistas como Idalberto Chiavenato e o americano Simon Sinek, percebe-se que as organizações atuais são bem mais complexas e possuem personalidade própria.

Chiavenato, autor brasileiro nas áreas de administração e RH, enfatiza que os componentes da cultura organizacional têm influência direta no comportamento das pessoas e das organizações.

Em sua obra “Recursos Humanos: O capital humano das organizações“, Chiavenato destaca: para se conhecer uma organização, o primeiro passo é conhecer sua cultura.

O autor entende a cultura organizacional como a reunião de elementos que formam hábitos, crenças, costumes, normas, atitudes e experiências compartilhadas por todos dentro do ambiente laboral.

Sendo assim, a cultura de uma empresa possibilita a inovação e o desenvolvimento de processos e soluções para resolver problemas e implementar melhorias ágeis.  

Teoria do Círculo Dourado na Cultura Organizacional

Simon Sinek, reconhecido autor britânico-americano, palestrante e consultor organizacional, acredita que um funcionário deve estar engajado com as causas da empresa.

Simon criou a Teoria do Círculo Dourado, mais voltada ao marketing externo, mas que também pode ser aplicada no marketing interno.

Em sua teoria, Sinek aponta que os líderes e marcas tendem a mostrar, primeiramente, o que fazem. Posteriormente, as marcas (empresas) buscam compreender o porquê de fazerem o que fazem.

Todavia, o ideal é percorrer o caminho inverso. Um bom exemplo é o caminho trilhado por muitas marcas de sucesso, como a Apple. A gigante da tecnologia busca, antes de tudo, compartilhar sua cultura, valores e objetivos com seu público.

De acordo com a teoria de Sinek, os clientes da Apple não compram apenas produtos, compram a razão pelas quais eles são feitos. Da mesma forma, no âmbito empresarial os funcionários podem produzir por motivações que vão além da simples compensação financeira.

Eles também produzem porque estão alinhados com os valores maiores da empresa, e isso faz com que produzam mais, melhor e com entusiasmo.

Pesquisas de engajamento para manter relacionamento e feedback

A cultura organizacional e a liderança baseada no espírito de coletividade levam a uma boa comunicação entre gestores e colaboradores. Comunicação esta que pode ser ampliada com pesquisas de engajamento, visando motivar funcionários e incluí-los no processo de tomada de decisão.

Mas atenção: não basta saber o que seus funcionários pensam. É preciso coletar as informações sempre de forma anônima, para que os funcionários se sintam com liberdade para criticar ou sugerir algo.

E o mais importante: utilize as informações de forma ágil, fazendo melhorias contínuas. e buscando informações para atacar diretamente a causa-raiz dos problemas, evitando perda de produtividade e rotatividade de funcionários.

Para que as pesquisas realmente levem a melhorias efetivas na sua empresa, eles devem ser feitas com regularidade. Quer entender o porquê?

Leia nosso artigo sobre pesquisa de engajamento contínua e entenda as vantagens dessa metodologia.

Mais Lidos

O que é turnover e por que ele acontece?

Chega dia 1º, o mês começa a todo vapor. Você, gestor, conhece bem suas metas e sabe que não será fácil atingi-las; precisará que sua equipe dê o seu melhor para chegar ao final do mês com uma vitória para comemorar. Você analisa os...

Continue lendo

Liderança Adaptativa: você está preparado para ela?

Liderança é um tema muito estudado por teóricos organizacionais e da administração. Um bom exemplo é o livro “O poder da inteligência emocional” que aborda 6 estilos diferentes de liderança. No entanto, há um estilo muito importante que todo líder precisa conhecer: a liderança adaptativa....

Continue lendo

RH Ágil: Metodologia Ágil para RH

Neste post você verá:De onde vem o RH ÁgilO Manifesto Ágil do RHO Manifesto Ágil do RH valoriza MAISO Manifesto Ágil do RH valoriza MENOSOs princípios de um RH ÁgilHumanos não são recursos De onde vem o RH Ágil O conceito ágil surgiu no...

Continue lendo